Elon Musk volta a provocar Mark Zuckerberg e propõe desafio de “medição de pênis” ao concorrente

Elon Musk propôs publicamente a Mark Zuckerberg um desafio provocador relacionado ao tamanho do pênis de ambos através do Twitter.

Elon Musk e Mark Zuckerberg - Foto: Instagram @elonmusk / @zuck
Elon Musk e Mark Zuckerberg – Foto: Instagram @elonmusk / @zuck

No domingo (09/07), a rivalidade entre Elon Musk e Mark Zuckerberg teve mais um capítulo. Em uma provocação via Twitter, Musk chamou Zuckerberg de “perdedor”. Esse comentário surgiu logo após o lançamento do Threads por parte de Zuckerberg, que é um concorrente direto do Twitter de Musk.

Além disso, Musk lançou um desafio inusitado a Zuckerberg no mesmo tweet. Horas após a primeira provocação, o empresário bilionário fez um desafio ao dono do Meta. “Proponho um concurso literal de medição de pau (pênis)”, escreveu ele na rede social que comprou no ano passado por 44 bilhões de dólares.

A resposta provocativa de Musk foi uma reação a uma captura de tela de uma postagem no Threads feita pelo restaurante de fast-food Wendy’s. O Wendy’s provocou Musk e marcou Zuckerberg, sugerindo que ele deveria ir para o espaço para deixar Musk ainda mais irritado. A referência foi irônica à empresa de Musk, SpaceX, que está envolvida na exploração espacial e pretende alcançar Marte em um futuro próximo.

Zuckerberg lançou concorrente da empresa de Elon Musk

Elon Musk propõe desafio a Mark Zuckerberg - Foto: Twitter @elonmusk
Elon Musk propõe desafio a Mark Zuckerberg – Foto: Twitter @elonmusk

A Meta Platforms lançou o Threads, um novo concorrente direto do Twitter, que obteve um grande sucesso desde o seu lançamento na quarta-feira (05/07). Mark Zuckerberg anunciou que o aplicativo conquistou cerca de 10 milhões de inscrições em apenas sete horas, estabelecendo um novo recorde. O primeiro post de Zuckerberg no Threads foi “Vamos fazer isso. Bem-vindo ao Threads”. Segundo a Forbes, a Meta planeja utilizar sua vasta base de usuários e experiência em anúncios para monetizar essa nova plataforma.

O momento é oportuno, uma vez que o principal concorrente, o Twitter, está passando por uma profunda crise sob a gestão de Elon Musk, que vem recebendo críticas dos usuários da rede social por conta da inabilidade na gestão da plataforma. Vale lembrar que, sob o discurso de proteger a liberdade de expressão, o bilionário afrouxou a moderação e permitiu que discursos de ódio ligados à extrema-direita se espalhassem, causando a debandada de anunciantes e de usuários mais antigos.