Amor Perfeito: Levi Asaf fala sobre Marcelino, seu personagem na nova novela da Globo

Levi Asaf interpreta Marcelino, um dos personagens principais de 'Amor Perfeito', que estreia nesta segunda-feira (20/03) na Globo.

Marcelino (Levi Asaf) em 'Amor Perfeito' - Foto: Globo
Marcelino (Levi Asaf) em ‘Amor Perfeito’ – Foto: Globo

‘Amor Perfeito’ é criada e escrita por Duca Rachid e Júlio Fischer com direção artística de André Câmara para o horário das 18h na TV Globo. A obra é escrita com Elísio Lopes Jr, com a colaboração de Dora Castellar, Duba Elia e Mariani Ferreira. A direção é de Alexandre Macedo, Lúcio Tavares, Joana Antonaccio e Larissa Fernandes. A produção é de Isabel Ribeiro e a direção de gênero de José Luiz Villamarim.

Doce, carinhoso, inteligente, destemido e um tanto traquinas. É difícil alguém não se encantar pelo esperto e afetuoso Marcelino (Levi Asaf), de apenas oito anos, que além de carregar tantos adjetivos, é movido por um grande sonho que, por vezes, parece inalcançável: conhecer o amor de sua mãe. Apesar disso, Marcelino, desde recém-nascido, foi criado com muito amor e carinho pelos religiosos da Irmandade dos Clérigos de São Jacinto, que deram a ele um lar e, mais que isso, lhe ensinaram o que significa amor em família.

É com a história de Marcelino e sua busca pela mãe que o público conhecerá esse ‘Amor Perfeito’, nova novela das seis, em uma trama que se passa nas décadas de 1930 e 1940, na fictícia Águas de São Jacinto, cidade do interior de Minas Gerais. A novela é livremente inspirada na obra “Marcelino Pão e Vinho”, de José María Sánchez Silva.

Levi Asaf fala sobre Marcelino, de ‘Amor Perfeito’

Orlando (Diogo Almeida) e Maré (Camila Queiroz) em 'Amor Perfeito' - Foto: Globo
Orlando (Diogo Almeida) e Maré (Camila Queiroz) em ‘Amor Perfeito’ – Foto: Globo

Mesmo com a pouca idade, Marcelino tem opiniões próprias e mantém sua curiosidade aguçada sobre os mais diversos assuntos. Na irmandade, a cozinha e o pátio são lugares para suas traquinagens, e, na escola, o menino é bom aluno, mas, vez por outra, não resiste a uma boa bagunça com os colegas. “Eu acho o Marcelino muito legal, sonhador, amoroso. Ele sempre pensa o que vai fazer, ele é muito inteligente, sabe? E eu sou muito inventor como ele”, descreve Levi, ator de nove anos, que é natural de Juazeiro (Bahia), mas que ainda pequeno se mudou com a família para Campinas (São Paulo).

“Quando falaram pra mim que eu fui aprovado [no teste], eu fiquei tão feliz, chorei, pulei demais. Quero agradecer a todos por me chamarem pra essa novela, estou amando demais, estou num sonho, não quero nunca acordar, e vou me esforçar muito pra gravar e fazer bonito., festeja o protagonista-mirim, estreante em novelas, e que já deu vida nos palcos ao icônico Pequeno Príncipe.  

O que Marcelino nem imagina é que sua história é atravessada por uma grande injustiça, que acabou separando-o de sua mãe, a jovem Maria Elisa Rubião, a Marê (Camila Queiroz), vítima das maldades e da ambição de sua madrasta Gilda (Mariana Ximenes). Do outro lado dessa busca, há também uma mãe aflita que não descansará até encontrar seu filho, fruto do amor com o médico Orlando Gouveia (Diogo Almeida). Entre os encontros e desencontros que marcam as vidas de Marê e Orlando, os dois estarão juntos na luta pelo sonho de finalmente abraçarem seu filho, numa prova de que nem mesmo a distância e a maldade vão vencer o amor verdadeiro.