Tom Hanks desabafa sobre não ser reconhecido por “um dos filmes mais importantes” de sua carreira

Tom Hanks explicou que um de seus filmes não tem reconhecimento pelo público, o que lhe desagrada.

Tom Hanks
Tom Hanks em “Estrada para Perdição” (2002) – Foto: Reprodução

Tom Hanks admitiu que não sabe ao certo por que ninguém menciona uma de suas performances favoritas em “Estrada para Perdição“, de 2002. O drama policial dirigido por Sam Mendes estrelou o astro como o executor da máfia Michael Sullivan. O longa ganhou vários prêmios e também estrelou grandes talentos, incluindo Paul Newman, Jude Law e Daniel Craig – mas ele acha que não é considerado um de seus maiores filmes.

Por uma razão ou outra, ninguém faz referência à produção, e esse foi um filme incrivelmente importante para mim“, disse o ator no podcast ReelBlend. “Foi filmado por Conrad Hall, e você tem a mim, Don Bigode com um chapéu nele, mas você também tem dois caras que se tornaram duas das maiores presenças cinematográficas da história da indústria com Jude Law. e [Daniel] Craig. E eu matei os dois“, relatou Hanks.

“As pessoas sempre me perguntam, ‘qual filmes estaremos falando daqui alguns anos? Como um cara que assiste muito Turner Classic Movies, quanto mais obscuro e desconhecido um filme dos anos 1940 ou 1950 melhor, porque não tenho noções preconcebidas sobre ele. Eu não sei nada sobre isso. Quando você assiste a esses filmes e é incrível e incrivelmente comovente, tudo que consigo pensar é: ‘Estou tão feliz que este filme dure para sempre, então tive a chance de revisitá-lo agora.’ Esse pode ser o caso de Road to Perdition“, desabafou o famoso.

Tom Hanks diz que fez apenas quatro filmes “muito bons”

Tom Hanks atuou em quase 100 filmes, mas acha que apenas quatro deles são “muito bons”, disse ele em uma nova entrevista à People. Durante a conversa, o ator explicou sobre o que considera como “um filme bom”.

“Ninguém sabe como um filme é feito – embora todos pensem que sim”, disse Hanks. “Eu fiz uma tonelada de filmes (e quatro deles são muito bons, eu acho), e ainda estou impressionado com a forma como os filmes se juntam. Desde o lampejo de uma ideia até a imagem tremeluzente na tela, todo o processo é um milagre“.