Paul McCartney rompe o silêncio: o que realmente aconteceu com Yoko Ono nos estúdios dos Beatles?

Paul McCartney, Yoko Ono e John Lennon - Foto: Reprodução / Instagram @paulmccartney @yokoono
Paul McCartney, Yoko Ono e John Lennon – Foto: Reprodução / Instagram @paulmccartney @yokoono

O renomado músico Paul McCartney abordou, após um longo período de silêncio, a questão da presença da artista plástica Yoko Ono, esposa de John Lennon (1940-1980), nos estúdios onde os Beatles trabalhavam. O cantor, de 81 anos, refletiu sobre esse tópico durante o podcast ‘McCartney: A Life in Lyrics’, classificando a constante presença de Ono no ambiente de trabalho de sua banda como “inconveniente”.

Paul McCartney fez menção explícita à presença da esposa de seu colega de banda no estúdio durante as gravações do icônico álbum ‘The White Album’, que foi lançado em 1968. “O John e a Yoko estavam juntos e o vínculo deles acabou afetando a dinâmica do grupo. Aquela coisa da Yoko estar literalmente no meio de uma sessão de gravação acabou sendo algo que precisamos encarar. A ideia era, se aquilo era algo que o John queria, então ia acontecer. Não havia motivação para negarmos“, disse o artista.

Na continuação, o compositor e cantor ainda comentou sobre a presença de Yoko Ono no estúdio de gravação: “Qualquer coisa que nos distraía, era um incômodo. Nós permitimos e não reclamamos. Ainda assim, ao mesmo tempo, acho que nenhum de nós particularmente gostava. Era uma interferência no ambiente de trabalho. Nós tínhamos uma dinâmica que funcionava“.

Nós quatro trabalhávamos com o George Martin [produtor dos Beatles]. E era isso. E sempre fizemos as coisas desse jeito. Então para não entrarmos em conflito, acho que apenas aceitamos e seguimos com a vida. Era a ideia com os Beatles, algo simples e prático, era o nosso trabalho, o que fazíamos da vida. Nós éramos os Beatles”, continuou Paul McCartney. Quando divulgou os comentários do cantor, o periódico ‘New York Post’ informou ter estabelecido comunicação com os representantes de Yoko Ono a fim de abordar a questão. Até o momento, a artista de 90 anos não emitiu uma declaração pública sobre o tema.