Homem tenta enviar fezes para Leonardo DiCaprio e Jared Leto e é levado a julgamento na Austrália

Leonardo DiCaprio e Jared Leto foram alvos de um protesto de um ativista ambiental que tentou enviar fezes e urina para suas casas.

Leonardo DiCaprio - Foto: Reprodução / Columbia Pictures
Leonardo DiCaprio – Foto: Reprodução / Columbia Pictures

Leonardo DiCaprio e Jared Leto quase receberam, em suas casas, uma surpresa muito incômoda. No entanto, as ações de Veronica Grey, um homem australiano, foram interceptadas antes que os atores pudessem se deparar com uma situação desagradável. Veronica tentou enviar 23 pacotes contendo fezes e urina congeladas para os artistas, mas suas tentativas foram bloqueadas antes que os pacotes pudessem chegar às mãos dos destinatários.

Os embrulhos, que continham dejetos congelados, tinham um rótulo enganoso que dizia “Confeitos de Dia dos Namorados”. Apesar do disfarce, a tentativa de enviar tais materiais desagradáveis gerou repercussão. Em uma audiência realizada nesta quarta-feira (16/08), Kaia Gooding, advogada de Grey, defendeu que seu cliente não tinha más intenções, embora ele tenha mentido ao preencher um documento sobre a legalidade do conteúdo dos pacotes. As informações são da “Monet”.

Grey, assim como Jared Leto e Leonardo DiCaprio, é envolvido em questões relacionadas à preservação do meio ambiente e da vida selvagem, o que teria motivado sua tentativa de enviar as fezes como uma forma de protesto. De acordo com um laudo apresentado pela defesa, Grey passou por uma consulta psiquiátrica. Segundo o profissional que fez a avaliação, ele não considerou as consequências de seus atos, e “o risco de reincidência é nulo”.

Juiz critica atitude de homem contra Leonardo DiCaprio e Jared Leto

Jared Leto como Coringa em Esquadrão Suicida - Foto: Warner Bros.
Jared Leto como Coringa em Esquadrão Suicida – Foto: Warner Bros.

O magistrado Deen Potter, responsável pelo caso, destacou que, embora as atitudes de Grey tenham sido impensadas, elas causaram um grande prejuízo no trabalho dos correios. Funcionários precisaram utilizar equipamentos de proteção individual para manusear e descartar os pacotes postados.

Potter argumentou: “Em um mundo onde a polarização política cresce cada vez mais, a corte deve desencorajar outros indivíduos a enviarem materiais pelo correio”. Veronica Grey deverá permanecer à disposição da corte australiana nos próximos dois anos. Caso cometa novos crimes, a pena será reavaliada, e ele enfrentará uma multa de US$ 3 mil (aproximadamente R$ 9,6 mil na cotação atual).