Glenn Close diz que Robin Williams estaria vivo se Christopher Reeve não tivesse morrido

Glenn Close acredita que a amizade entre os dois astros poderia ter mudado o destino trágico de Williams, morto em 2014

Glenn Close, Robin Williams e Christopher Reeve - Foto: Reprodução
Glenn Close, Robin Williams e Christopher Reeve – Foto: Reprodução

Em uma recente entrevista ao documentário ‘Super/Man: The Christopher Reeve Story’, a atriz Glenn Close compartilhou suas reflexões sobre a trágica morte do amigo Robin Williams, expressando a crença de que o mesmo não teria cometido suicídio se Christopher Reeve, também amigo próximo, não tivesse falecido anos antes.

Close, que trabalhou ao lado de Williams em ‘O Mundo Segundo Garp’ (1982), comentou sobre a profunda conexão entre Williams e Reeve, que iniciou durante o período em que foram colegas de quarto na escola de artes Julliard, em Nova York, em 1973. A atriz, de 76 anos, enfatizou a importância dessa amizade lendária no apoio mútuo dos dois artistas.

“No fundo, sempre achei que se o Chris ainda estivesse por aqui, o Robin também estaria vivo. A amizade deles, a conexão dos dois, era algo lendário”, afirmou Glenn Close durante o documentário. “Não só se manteve, mas se tornou uma entrega que sustentou os dois.”

Glenn Close já havia falado sobre a amizade dos atores

Christopher Reeve, conhecido por interpretar Superman, faleceu em 2004 devido a complicações de um ataque cardíaco, nove anos após um acidente que o deixou paralisado. Por sua vez, Williams enfrentou uma batalha contra uma doença neurológica e acabou cometendo suicídio em 2014.

A atriz, que testemunhou a amizade duradoura entre Reeve e Williams, enfatizou como eles continuaram a se apoiar mesmo após o acidente que mudou a vida de Reeve. Fotos dos dois em eventos hollywoodianos tornaram-se testemunho da força dessa amizade. Glenn Close já havia celebrado a união dos dois astros em um evento da Christopher & Dana Reeve Foundation em 2017, ressaltando a importância dessa conexão única na vida de ambos.