Bocardi detona greve do metrô em SP após Datena declarar apoio ao movimento grevista

O jornalista do "Bom Dia São Paulo" incomodou ao defender o governador Tarcísio de Freitas.

Rodrigo Bocardi e Datena - Foto: Reprodução / Record / Band / Montagem iG
Rodrigo Bocardi e Datena – Foto: Reprodução / Record / Band / Montagem iG

Rodrigo Bocardi, que comanda o “Bom Dia São Paulo”, criticou a greve no Metrô e na CPTM na capital paulista na manhã desta terça-feira (28). A fala aconteceu após Datena apoiar a movimentação durante o “Brasil Urgente” da Band. Para quem não sabe, o transporte de São Paulo foi afetado por uma greve do Sindicato dos Metroviários e Metroviárias que é contra o processo de concessão das linhas metroferroviárias anunciado pelo governo estadual.

Ao comentar o tema no jornal matinal, Bocardi disse que Tarcísio de Freitas, governador de São Paulo, havia informado que tinha planos de privatização e questionou a greve. “Por que dessa greve? Não é por campanha salarial, não é por questão de dissídio, não sobre nada disso. É assim como a última por que os sindicatos são contra o processo de privatização em curso… A realidade é uma só ela precisa ser dita: o governador tem razão quando fala que esse processo está legitimado”, disse o jornalista.

Ademais, na segunda-feira (27), o “Brasil Urgente” entrevistou o diretor do Sindicato dos Metroviários, Altinho de Melo, que criticou Tarcísio. “No metrô privado, ele [trabalhador] ganha, normalmente, menos da metade do salário do setor estatal, porém, o que o setor estatal arrecada em dinheiro é um quarto do que o setor privado ganha. Portanto, tem alguma coisa. Se os trabalhadores do setor privado ganham menos, eles contratam menos, porque eles querem o lucro ao máximo e diminuem o máximo que puderem de funcionários e ganham quatro vezes mais que o setor estatal, quem está ganhando dinheiro? A CCR. Por isso, que tem cinco novos bilionários, de acordo com a Revista Forbes, em 2022, da CCR. Então, estão transferindo dinheiro público para esses caras”, argumentou o grevista.

Em seguida, ele questionou a fala de Datena: “Se o Datena fosse governador, ele ia fatiar o metrô e a CPTM, dando para a CCR?”.O jornalista, então, concorda com Altinho e responde: “Não!”. Internautas, logo, relacionaram a resposta de Datena à fala de Bocardi e repercutiram os comentários no Twitter.