Sony aceita acordo com Microsoft para manter Call of Duty no PlayStation

Call of Duty está garantido no PlayStation por muitos anos no futuro.

Sony aceita acordo com Microsoft para manter Call of Duty no PlayStation

Agora que a novela envolvendo a fusão da Microsoft com a Activision Blizzard está muito próxima de terminar, a Sony reconheceu a derrota e decidiu aceitar o antigo acordo que a Microsoft havia oferecido no começo do processo prometendo manter a saga Call of Duty no PlayStation por pelo menos dez anos.

O CEO da Microsoft Gaming, Phil Spencer, confirmou que as duas gigantes da tecnologia concordaram com um “acordo vinculativo” para manter o Call of Duty no PlayStation. Após o acordo ser assinado, o CEO da PlayStation, Jim Ryan comentou sobre o caso afirmando que está “bastante certo de que continuaremos a ver o Call of Duty no PlayStation por muitos anos”.

A Sony lutou arduamente por mais de um ano para tentar melar a fusão das duas gigantes do entretenimento, entretanto os esforços foram em vão. Acusações graves e até mesmo bizarras partiram da companhia que chegou até mesmo a afirmar que a Microsoft lançaria versões prejudicadas de Call of Duty no console.

A Microsoft sempre afirmou que manteria o Call of Duty no PlayStation, argumentando que não faz sentido financeiro retirar o jogo dos consoles da Sony que detém a maior parte da comunidade de jogadores.

O que falta?

Atualmente, só falta a Microsoft se acertar com o CMA britânico que não aceitou a fusão das empresas. Dessa forma, caso a companhia decida abandonar o Reino Unido e parar de comercializar produtos Xbox por lá, a fusão pode findar agora em 18 de julho com os trâmites financeiros encerrados.

Entretanto, tudo leva a crer que a Microsoft vai apelar a decisão em um novo processo que terá início em 28 de julho. Dessa forma, mais alguns meses serão adicionados para a fusão já muito burocrática e onerosa.

Logo, falta muito pouco para todo o catálogo da Activision ser disponibilizado na plataforma do Xbox Game Pass.