Seu Jorge e Daniel Jobim interpretam Tom Jobim, no palco da Vibra São Paulo

Evento com Seu Jorge e Daniel Jobim acontece neste sábado (10/06) e faz parte da programação especial de Dia dos Namorados

Seu Jorge e Daniel Jobim - Foto: Reprodução / Fábio Nunes
Seu Jorge e Daniel Jobim – Foto: Reprodução / Fábio Nunes

Poucos artistas elevaram a música, a obra e a arte brasileira ao patamar de Tom Jobim. E é justamente para exaltar a preciosidade das obras do maestro soberano, que Daniel Jobim, neto do músico, e o cantor Seu Jorge se uniram para protagonizarem um projeto exclusivo e especial. Após rodar algumas cidades, os artistas se apresentam neste sábado (10/06), no palco da Vibra São Paulo. Os ingressos continuam à venda em uhuu.com e pontos autorizados. Mais informações no serviço abaixo. Além de cantar o amor em homenagem aos apaixonados, os músicos trazem no repertório, as obras de Tom, assim como parcerias com Vinicius de Moraes e tantos outros como nas obras Corcovado, Garota de Ipanema, Luíza, Eu Sei Que Vou Te Amar, Ligia, A Felicidade, entre muitos sucessos.

Durante a apresentação, Daniel Jobim e o cantor vão alternar momentos nostálgicos, grandes versões e impressões pessoais sobre o poeta. Tudo começou em um aniversário de Dedé Veloso. Daniel Jobim aguardava em frente à casa da aniversariante, quando o artista chegou de táxi. Os músicos celebraram o reencontro, a alegre surpresa. Dias depois, Paula Lavigne mandou uma mensagem para Daniel: ‘O Comendador quer falar com você’. “Ele me ligou por chamada de vídeo, me fazendo o convite. Eu aceitei na hora! É uma energia muito boa, fiquei muito feliz”, explica Daniel sobre o início do projeto.

Sobre a escolha do repertório, Daniel logo adverte: “A seleção das canções é algo bastante natural, de acordo com o coração de cada um, das músicas que o artista gosta de cantar. É muito bom, porque flui naturalmente e isso transparece no palco. São músicas que gostamos e estamos acostumados, sem preocupação com tons diferentes”. Para o famoso, interpretar as canções de Tom é uma mistura de bons sentimentos: “Cantar esse repertório é um presente incrível para mim ao mesmo tempo que é um desafio enorme! O amor está de volta. Tom Jobim vive”, declara o músico. Durante a apresentação, Daniel Jobim e o cantor alternam momentos nostálgicos, grandes versões e impressões pessoais sobre o poeta. Seu Jorge sempre teve o desejo de interpretar a obra de Tom e viu a oportunidade surgir após o reencontro com Daniel Jobim.

Seu Jorge e Daniel Jobim com lindo espetáculo

Foto: Reprodução / Divulgação
Foto: Reprodução / Divulgação

Antonio Carlos Jobim sem sombra de dúvidas foi um dos maiores compositores do mundo que tivemos a sorte de ser brasileiro e um dos maiores heróis da nossa música. Uma mente criadora com a preocupação de criar uma música genuinamente brasileira com seus belos acordes e poesia pura. Suas canções eternas, enchem o coração das pessoas de alegria, romantismo e esperança”, reflete o famoso artista. A versatilidade da obra do maestro soberano se funde com o artista. Antonio Carlos Jobim foi compositor, pianista, arranjador, cantor e violonista e completaria 93 anos em janeiro de 2020. Um dos grandes ícones da MPB nos deixou aos 67 anos e foi um dos mais importantes artistas brasileiros a levar a mistura do samba, do clássico, do jazz e da bossa nova a um patamar internacional de relevância.

Desde a parceria com João Gilberto, Chico Buarque, Baden Powell até Frank Sinatra, Tom escreveu parte do histórico da cultura brasileira e deixou um extenso legado entre trilhas de obras cinematográficas, parcerias, contribuições, álbuns e participações. “Eu, felizmente, tenho muitas lembranças do meu avô. Pude conviver bastante. Ele começava a tocar canções muito cedo, a partir das 6 da manhã. Eram músicas clássicas que ele exercitava todos os dias. Antes de compor ele tocava algumas peças, fazia um estudo antes. Quando ele começava a compor as ideias já surgiam. Eu lembro dele tocando Brahms, Chopin, Debussy, Rachmaninov. De manhã cedo já era aquela música iluminada. Isso realmente marca bastante, a gente não esquece”, emociona-se Daniel.