RBD: Deputada pede abertura de investigação de esquema ilegal na venda de ingressos para os shows

Fãs relatam esgotamento das entradas para os shows extra em poucos minutos.

RBD – Reprodução / Instagram
RBD – Reprodução / Instagram

A vida dos fãs de RBD anda bastante difícil. As dificuldades na compra dos ingressos se repetiu para os shows extra que estão marcados para os dias 16 e 18 de novembro deste ano. A venda foi liberada na plataforma Eventim, nesta sexta-feira (3), às 10h. Só que não demorou nem um minuto para esgotar do sistema.

Por sua vez, na tarde desta terça (3), a deputada federal Erika Hilton (PSOL-SP) pediu investigação da empresa de eventos Eventim, para um suposto esquema ilegal de vendas de ingressos. A parlamentar entrou com um ofício no Procon-SP e Ministério Público do Estado de São Paulo.

O documento enviado ao Procon destaca a relação entre cambistas e a empresa responsável pelas vendas online. No ofício, a deputada ainda se refere a relatos de que diversos pontos de venda físicos foram tomados por “cambistas portando armas de fogo para intimidar os fãs”.

Esquema ilegal na venda de ingressos para RBD

Se o esquema ilegal de venda de ingressos for confirmado, a deputada afirma que “a situação poderia configurar crime contra a economia popular, previsto na Lei nº 1.521, de 26 de dezembro de 1951, por configurar ato de manipulação ilegal de preços e tendências de mercado, lesando os consumidores do mercado artístico-cultural no país”.

Nas redes sociais, o Procon responde a comentários de internautas dizendo que “está acompanhando as demandas contra a empresa”, e aconselha o consumidor a inscrever sua reclamação. Os shows oficiais serão nos dias 17 de novembro, em São Paulo, e 19 de novembro no Rio de Janeiro.

Confira o conteúdo do ofício enviado ao Procon:

À Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor – PROCON

Ao Ministério Público do Estado de São Paulo, Promotoria de Defesa do Consumidor

Prezados, Dirijo-me à Vossa Excelência na condição de Deputada Federal pelo Partido Socialismo e Liberdade de São Paulo (PSOL/SP), na expectativa de obter esclarecimentos em referência ao suposto esquema entre cambistas e a empresa Eventim Brasil, que forneceu os ingressos para o show da banda RBD, previsto para acontecer na segunda quinzena de novembro de 2023.

A referida banda, que possui uma legião de fãs no Brasil, anunciou que realizaria shows no Brasil no ano de 2023. A venda dos ingressos ficou sob responsabilidade da empresa Eventim Brasil, que os disponibilizou em seu site no dia 03 de fevereiro, a partir das 10h.

Segundo portais de notícias, os ingressos se esgotaram em menos de 10 minutos 1 , o que causou bastante frustração aos fãs da banda, que passaram a manifestar sua suspeita de que a compra em massa havia sido realizada por cambistas.

A suspeita foi confirmada em nota publicada pelo R7 2 , que afirmava que diversos pontos de venda estavam tomados por cambistas portando armas de fogo para intimidar os fãs. Há também um vídeo que circula nas redes sociais 3 , onde é afirmado que a empresa responsável pela venda dos ingressos possui um esquema com os cambistas.

Uma vez sendo comprovado o esquema ilegal de vendas de ingressos, a situação poderia configurar crime contra a economia popular, previsto na Lei nº 1.521, de 26 de dezembro de 1951, por configurar ato de manipulação ilegal de preços e tendências de mercado, lesando os consumidores do mercado artístico-cultural no país.

Diante desses fatos, venho por meio deste ofício solicitar a abertura de investigação acerca das denúncias de esquema ilegal relativas à venda de ingressos para o show da banca RBD por parte da empresa Eventim Brasil.

No mais, renovamos nossos votos de estima e consideração, e certos da atenção de Vossa Senhoria, nos colocamos à disposição para quaisquer esclarecimentos.