CEO da Kadokawa é criticado por comentários pró-censura em mangás

Mais tarde, ele se desculpou pelo ocorrido.

O presidente e CEO da Kadokawa, Takeshi Natsuno, causou polêmica na semana passada, recebendo muitas críticas por comentários pró-censura em animes e mangás. Em 21 de julho, em um programa, Abema Prime, ele disse:

“Muitos mangás japoneses não passam na análise do Google ou da Apple. Portanto, mantendo isso em mente, tenho a sensação de que temos que restabelecer os padrões do que é certo para lançar e do que não é para a era da internet. Na indústria editorial em que estou, todos estão no campo pró-liberdade de expressão, mas tenho a forte sensação de que temos que redesenhar os limites de alguma forma”.

Obviamente, os mangakás não gostaram do comentário, como o criador Ken Akamatsu, de Negima! Magister Negi Magi, que comentou: 

“É um apelo aos acionistas para se conformarem aos padrões do capital estrangeiro”. 

O romancista Mikito Chinen opinou dizendo: 

“Se [a censura] acontecesse, os mangás e animes japoneses perderiam todo o seu predomínio. O mangá e o anime são bem recebidos no exterior porque foram criados com liberdade e sem consideração pelo que vai dar certo lá. É muito perigoso para este tipo de opinião surgir de Kadokawa.”

Após a polêmica, Natsuno voltou atrás em seus comentários e se desculpou, cortando 20% de seu salário, de agosto a outubro, como punição pessoal. (via Otaku USA Magazine).